4 de abr de 2013

Realizado em março o curso em cuidado nutricional na doença renal crônica para qualificação de nutricionistas da rede municipal


O Instituto de Nutrição Annes Dias (INAD/SMS)) e o Instituto de Nutrição (UERJ) em parceria, realizaram o Curso de Atualização sobre Aspectos Nutricionais no Tratamento da Doença Renal Crônica, para qualificar os nutricionistas que atuam nos diferentes níveis de atenção da SMS. O curso teórico-prático foi coordenado pela professora Carla Maria Avesani, que é uma das autoras do livro intitulado Nutrição na Doença Renal Crônica. Estão planejadas mais duas turmas, em junho e setembro deste ano. A demanda para a realização do curso partiu dos próprios profissionais, que têm observado o aumento que chegam às nas unidades de saúde. Estudos populacionais vêm mostrando aumento significativo das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), e entre elas da doença renal crônica. As ações de prevenção e promoção da saúde requerem conhecimentos técnicos da realidade epidemiológica, das estratégias e das ferramentas de ação em saúde coletiva. De igual importância, pessoas com doenças já instaladas necessitam de assistência qualificada e oportuna, com acompanhamento das suas condições clínicas. O nutricionista deve ter um olhar focado na condição clínica com possíveis complicações nutricionais e suas repercussões, valorizando a melhora da qualidade de vida, mas sem perder a perspectiva das conseqüências de uma alimentação inadequada. Por isso, é fundamental desenvolver protocolos e estratégias para o cuidado nutricional, que busque o melhor controle e acompanhamento desses agravos. 
                  
                                                                          
A oficina culinária “Pouca proteína & Muito sabor” foi sucesso na primeira turma do curso A oficina culinária teve o objetivo de instrumentalizar os nutricionistas para o acompanhamento do portador de doença renal crônica na busca de sua autonomia, autocuidado e senso crítico em relação à alimentação e qualidade de vida. Além disso, no segundo dia do curso foi realizada análise sensorial de suplementos nutricionais com intuito de ampliar as possibilidades no cuidado deste grupo de pacientes. A alimentação do portador de doença renal crônica é questão complexa, com a necessidade do controle da ingestão de vários nutrientes - como a proteína, o sódio e o fósforo. Essas restrições podem afetar o hábito alimentar, gerando dificuldades de adesão ao tratamento. As receitas utilizadas foram as do livro “Pouca proteína & muito sabor” que é fruto do trabalho e experiência de professoras do Instituto de Nutrição da UERJ na tentativa de contrapor a limitação com o sabor e de, conseqüentemente, favorecer um princípio básico da vida – o prazer de comer!
 


Veja  aqui  https://docs.google.com/file/d/0B6ZiU16Y1VVNYlVMUDIzWTVmdjA/edit?usp=sharing   as receitas testadas na oficina Pouca proteína e muito sabor


Publicações citadas: 1.Lilian Cuppari, Carla Maria Avesani, Maria Ayako Kamimura. “Nutrição na doença renal crônica”. São Paulo: Editora Manole, 2013. 2. Maria Inês Barreto Silva, Ângela Lerner Sadcovitz, Carla Maria Avesani. “Pouca proteína e muito sabor”: receitas práticas para o paciente com doença renal crônica na fase não dialítica. São Paulo: Quark Press Editorial, 2010.

Um comentário: